sexta-feira, 1 de julho de 2016

A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM

A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM

O link abaixo é de uma matéria da Folha que trata dos "investimentos" feitos pelo Postalis em negócios do especulador Arthur Pinheiro Machado, que, entre outras jogadas, tem participação direta no caso do grupo Galileo que levou à prisão, Adilson Florêncio (conhecido como "ariranha"), ex-diretor financeiro do Postalis.
Dos negócios que Arthur Pinheiro Machado montou com o nosso dinheiro, o mais vultoso é o famigerado projeto da "Nova Bolsa", onde o Postalis teria, em valores de março do corrente ano, quase MEIO BILHÃO DE REAIS investidos, sendo R$ 268 milhões do FIP ETB e R$ 229 milhões em debêntures da X Nice.
As aplicações no FIP ETB são de 2010 e 2011. Já as debêntures da X Nice datam de 2014, período em que a área de investimento do Postalis estava sob o comando de ninguém mais, ninguém menos, do que André Motta, que, ao que tudo indica, deve assumir a presidência do Postalis na próxima semana.
A conta do projeto da Nova Bolsa é mais uma daquelas que, provavelmente, nos será apresentada aos participantes e aposentados do Postalis mais cedo ou mais tarde.
A destituição atabalhoada do ex-presidente e ex-diretor de investimentos, ocorrida em 29/06/2016, em uma reunião do Conselho Deliberativo, convocada ao arrepio do disposto em seu próprio regimento interno e sem a presença dos representantes dos participantes, se deu, ao que tudo indica, para viabilizar a posse dos novos membros da diretoria antes que a nova lei dos fundos de pensão seja aprovada e a ocupação dos cargos de diretoria tenha que obedecer os critérios e procedimentos que serão fixados pela nova legislação.
Trata-se de uma evidente manobra do governo Temer para escapar da nova lei e burlar o que o próprio Temer declarou e prometeu em alto e bom tom, ou seja, que não haveria mais nomeações políticas nas estatais e fundos de pensão.
O que representa essa mudança na diretoria do Postalis? Só não vê quem não quer... e, infelizmente, muitos não estão querendo.
E como já disse anteriormente, em tempos de guerra, quem se cala ou se omite defende mesmo é o inimigo (por mais que diga defender outras coisas).

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/01/1731356-postalis-pos-r-570-mi-em-empresas-ligadas-a-suposto-operador-do-pmdb.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão previamente moderados, para publicação e resposta posterior.