domingo, 3 de julho de 2016

EU ACEITARIA A INGERÊNCIA POLÍTICA NO POSTALIS

Eu aceitaria, sim, a ingerência política no Postalis... com alguma singelas condições. São elas:
1) Que o governo ordenasse o pagamento imediato da RTSA pela ECT;
2) Que o governo comprasse a participação do Postalis nos seguintes investimentos: Nova Bolsa, Pet Manguinhos, Canabrava, Galileo, RAESA, Multiner, Mudar, Trendbank, RN Naval, CJP, etc... o preço a ser pago seria, naturalmente, o valor investido pelo Postalis corrigido atuarialmente;
3) Que o governo usasse seu poder político e seus órgãos reguladores e fiscalizadores, tais como o Banco Central e a CVM, para obter do BNY Mellon a indenização ao Postalis pelos R$ 4 bilhões de prejuízos causados.
Se o governo cumprisse essas três condições, eu ficaria absolutamente calado diante da ingerência política no Postalis, como muitos estão.
Enquanto isso não acontecer, só lamento... mas não posso silenciar ao ver pessoas com a linhagem política mencionada na matéria abaixo sendo postas para tomar conta (ou tomar de conta) do que sobrou do patrimônio do Postalis e daquilo que ainda será descontado dos nossos rendimentos, por mais de 23 anos, para cobrir o rombo deixado por gestores indicados pelo mesmo critério.
Trecho da matéria abaixo:
"Gim Argello tem ainda um aliado na Direção de Controle do banco, responsável pela gestão de riscos relacionados a condições para liberação de financiamentos e empréstimos. Assumiu a função o analista da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) Christian Schneider, que começou na política nas eleições de 2006, como uma das apostas de Gim Argello para a Câmara dos Deputados."
OLHA AÍ O NOSSO FUTURO DIRETOR DE INVESTIMENTOS, GENTE!!!

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2010/06/18/interna_cidadesdf,198266/index.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão previamente moderados, para publicação e resposta posterior.